sábado, 2 de fevereiro de 2013

Eu tenho mania de “me apegar”!

Por vezes desejei “me apegar” menos as pessoas, principalmente aos meus “rolos amorosos” rs, colocar em prática o “pega, mas não se apega”, mas estou beirando os 30 anos e ainda não aprendi isso. Encarava isso como um defeito e de repente me dei conta que isso é uma linda qualidade e que ser assim...sou eu! que apesar do sofrimento que gera...é bom!

Por que eu “me apego”?

Eu tenho o hábito de tornar toda e qualquer pessoal que entra na minha vida... especial! Por isso acabo sofrendo quando elas vão embora e não demonstram que fui especial também. Costumava falar para todas que iam o quanto elas foram especiais mas, por mais que minha auto-estima seja inabalável, falta de reciprocidade dói e desestimula. No final a dor passa e as pessoas que foram boas, mesmo que minimamente, ficam guardadas na minha memória, embaladas com carinho...isso me mantém imune ao rancor e a outros sentimentos ruins. As pessoas que foram ruins, também “me apeguei”, mas essas deixei ir, com meu perdão, apesar do sofrimento que me causaram, tornaram-me mais forte, tolerante e piedosa.

Eu tenho mania de “me apegar” sim e “me apego” mais àquelas pessoas que desejo que fiquem. Essas, além de especiais, são pessoas para as quais eu tento ser melhor todos os dias, pelas quais reflito sobre meus atos egoístas e impacientes, por quem faço questão de chorar e me alegrar minutos depois, por quem consigo ser forte, mesmo destruída por dentro.

Vendo dessa forma percebi que “se apegar”, às vezes dói, mas no fim sempre deixa algo bom, que “se apegar” nada mais é que tornar as pessoas especiais e querer ser especial pra elas... onde está o defeito nisso?

Bom esse texto vai pra todos que como eu... tem mania de “se apegar”

Parece um texto que escrevi para me sentir melhor...e é...mas o que me inspirou foi a lembrança de muitos amigos e amigas dizendo... “eu queria me apegar menos”.


Bora “se apegar" galera! rs

3 comentários:

Felipe disse...

Acho que medo de se apegar é o medo da dor. Da dor da expectativa não cumprida, da despedida ou da perda de alguém ou alguma coisa. Um sistema de defesa racional para dores emocionais. Eu me apego bem facil tb. Tento sempre ser racional, mas nessas horas o emocional ganha!
Lindo texto! Parabéns!

Felipe disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Roberto Schiavon disse...

Não há problema algum em se apegar. Mas, com o tempo, acabamos ficando mais realistas e isso não é ruim. Um dia encontramos o equilíbrio entre o sonho e a realidade, para que não paremos de almejar aquilo que merecemos, ao mesmo tempo em que passamos a conseguir evitar dores desnecessárias. A propósito: lindo texto!